Overblog Suivre ce blog
Editer l'article Administration Créer mon blog

Mendes propre

Prof. MONA MPANZU

C.E. SIMÃO NIOKA (10ª CLASSE)



 

I. RELAÇÕES SEMÂNTICAS

 

1. RELAÇÃO DE EQUIVALÊNCIA - SINONÍMIA

 

A relação de sinonímia é a que se estabelece entre duas ou mais palavras que podem ser usados no mesmo contexto, sem que exista uma alteração de significado do enunciado em que ocorrem.

Dito de outra forma: sinónimos são palavras que têm um significado idêntico, reenviando para o mesmo referente, mas significantes diferentes.

 

Exemplos:

 

     a) Eu penso que o Benfica está a sofrer demasiados golos.

     a') Eu julgo que o benfica está a sofrer demasiados golos.

 

     b) A Sandra é uma mulher bela.

     b') A Sandra é uma mulher linda.


dois tipos de sinónimos:

As palavras que se identificam exactamente são conhecidas como sinónimo perfeito (casa - lar).

As palavras que se identificam por aproximadamente são conhecidas como sinónimos imperfeitos (esperar e aguardar).

Atentemo-nos seguintes exemplos, extraídos do Dicionário Terminológico online[1]: nas frases «A minha mulher está doente.» e «A minha esposa está doente.», as palavras destacadas («mulher» e «esposa») são sinónimas; no entanto, na frase «A mulher é o sexo forte.», já não é possível considerar uma possível substituição da palavra sublinhada por «esposa», logo neste caso não funcionam como termos sinónimos.


2. RELAÇÃO DE OPOSIÇÃO – ANTONÍMIA

É a relação semântica entre duas ou mais palavras que, embora partilhando algumas propriedades semânticas que as relacionam, têm significados opostos.

Antónimos são, assim, palavras que apresentam significados opostos / contrários:

- alto / baixo;

- gordo / magro;

- jovem / velho.

Existem diversos tipos de antonímia:

  1) Antonímia contraditória: a relação de oposição entre as palavras implica uma exclusão recíproca:

- vivo / morto;

-solteiro / casado;

-homem / mulher;

- macho / fêmea.


2) Antonímia contrária / graduável: neste caso, entre duas palavras de significado contrário existem um ou mais conceitos intermédios, significando que a relação de oposição é graduável:

- quente / frio  -  quente / morno / frio;

- cheio / vazio  -  cheio / meio / vazio.

 

3)Antonímia conversa: neste caso, a realçaõ de oposição obriga que, havendo inversão dos termos na frase, se utilize outra palavra para manter o mesmo sentido:


          a) Eu dei um presente ao João.

          a') O João recebeu o presente do pai.


          b) O Miguel é filho da Maria.

          b') A Maria é mãe do Miguel.


 Este tipo de antonímia ocorre sobretudo no campo das relações de parentesco (marido/mulher), dos intercâmbios sociais (médico/paciente) e das relações temporais e espaciais (antes/depois).

 

3. RELAÇÕES DE HIERARQUIA  -  HIPERONÍMIA E HIPONÍMIA

 

A hiperonímia é uma relação de hierarquia semântica entre palavras, em que o significado de uma (o hiperónimo), por ser mais geral, inclui o de outras (os hipónimos).

Por seu lado, a hiponímia é uma realção de hierarquia semântica entre palavras em que o signifcado de uma (o hipónimo), por ser mais específico, se encontra incluído no de outra (o hiperónimo).

Assim, podemos falar em hiperónimo para designar o termo genérico onde podem ser incluídos vários elementos específicos dele dependentes semanticamente. Estes elementos específicos contidos na designação genérica são os hipónimos.


Exemplos:

 

- animal (hiperónimo) → cão, gato, galinha, cobra, elefante, tigre, etc. (hipónimos);
- flor (hiperónimo) → margarida, dália, magnólia, sardinheira, roseira, etc. (hipónimos).



4. RELAÇÕES DE PARTE-TODO  -  HOLONÍMIA / MERONÍMIA


A holonímia é uma relação de hierarquia semântica entre palavras, em que o significado de uma (o holónimo) refere um todo do qual a outra (o merónimo) é parte constituinte.

A meronímia é uma relação de hierarquia semântica entre palavras, em que o significado de uma  (o merónimo) remete para uma parte constituinte da outra (o holónimo).

 

Exemplos:

- planta (holónimo) → raiz, caule, tronco, folhas, ramos, flores (merónimos);
- casa (holónimo) → quarto, sala, cozinha, despensa (merónimos).


De acordo com o Dicionário Terminológico, «As relações de holonímia/meronímia distinguem-se das de hiperonímia/hiponímia na medida em que nestas há uma transferência de propriedades semânticas que não se verificam naquelas. Por exemplo, "sardinha" é hipónimo de "peixe", porque também é "peixe". Já a palavra "escama" não pode ser encarada como um hipónimo de "peixe", uma vez que, apesar de ser uma parte do peixe (merónimo), não é um subtipo de peixe».

 

II. RELAÇÕES FONÉTICAS E GRÁFICAS


1. PALAVRAS HOMÓNIMAS (HOMONÍMIA)

São as palavras que se pronunciam e escrevem da mesma maneira, mas que têm significados diferentes. As palavras homónimas têm origens diferentes; mas acabaram por convergir numa igual forma; têm significados distintos, mas partilham a mesma forma grafémica e fonológica[2]

Exemplo:

  1. rio (curso de água); rio (forma do verbo rio)
  2. são (inerente a pessoa santificada); são (forma do verbo ser); são (saudável)

2. PALAVRAS HOMÓFONAS (HOMOFONIA)

São palavras homófonas as que se pronunciam da mesma maneira, mas se escrevem de modo diferente e têm significados diferentes.

Exemplo:

  1. conserto (forma do verbo consertar / concerto (espectáculo musica l)
  2. sem (preposição que indica ausência) / cem (numeral)

3. PALAVRAS HOMÓGRAFAS (HOMOGRAFIA)

São homógrafas as palavras que se escrevem com as mesmas letras (grafia igual), mas se pronunciam de modo diferente; por isso mesmo, nalgumas, essa distinção de pronúncia é assinalada pelo acento gráfico, quando as regras da ortografia o exigem.

Exemplo:

  1. colher (utensílio de cozinha) / colher (verbo);
  2. sede (local) / sede (vontade de beber)

4. PALAVRAS PARÓNIMAS (PARONÍMIA)

São parónimas as palavras que entre si diferem ligeiramente na pronúncia e na grafia (causando frequentes confusões), embora de diferentes significados. (pronúncia e grafia parecidas mas significados diferentes) 

Exemplo:

  1. cumprimento (saudação) / comprimento (extensão longitudinal)
  2. discrição (qualidade de quem é reservado / descrição (enumeração)

 


FONTES

ESCOLAR EDITORA (2010): Gramática moderna da língua portuguesa, BookProof, Lisboa,

http://a-gramatica.blogspot.com/2010/07/blog-post.html



[2] ESCOLAR EDITORA (2010): p. 124


Tag(s) : #ÁREA DE ALUNOS DO C.E. SIMÃO NIOKA

Partager cet article

Repost 0
Pour être informé des derniers articles, inscrivez vous :